BLOG

Conheça um pouco mais sobre a Engemoura

Gerador não resolve problema de energia em portarias virtuais

Não há dúvidas que os geradores de grande porte trazem um enorme conforto aos condomínios quando atendem elevadores, bombas e toda a iluminação interna. Porém, não se engane. Caso uma portaria virtual seja instalada, este equipamento sozinho, sem o uso de um nobreak em conjunto, não será suficiente para garantir a segurança elétrica.
Além deles, os geradores de pe
queno porte já se tornaram obsoletos para esse tipo de aplicação, já que trazem todos os transtornos de um gerador grande, sequer mantêm os elevadores ligados e ainda possuem um alto custo de aquisição e manutenção. Para essa aplicação existem nobreaks de grande autonomia que os substituem completamente, com maior eficiência, menos transtornos e menor custo.
Saiba quais são os problemas que você pode enfrentar se optar por utilizar apenas o gerador, sem nobreaks, junto com um sistema de portaria virtual:

 

1- Tempo de acionamento:
O principal problema de um gerador é seu tempo de acionamento, ou seja, o tempo que leva entre a queda da energia pública e o momento que ele é ligado, reestabelecendo a energia local.
Geralmente esse processo tarda 40 segundos. Porém, todos os equipamentos eletrônicos (câmeras, modens, etc) são geralmente reiniciados e podem chegar a 5 minutos fora de serviço.
O que é pior. Quando a energia da rede pública retorna, o gerador repete o mesmo processo. Ou seja, toda a energia é desligada para restabelecer a energia da rede pública, causando novamente o mesmo transtorno.
Além disso, o que acontece naqueles dias em que não há uma longa falta de energia, mas apenas “piscadas” constantes? Cada “piscada” gera um período offline no condomínio, com toda a segurança fragilizada.
Desta forma, se torna essencial o uso de um nobreak em conjunto para evitar esse tempo de apagão ocasionado pelo gerador.

 

2- Índice de falhas:
Mesmo com um equipamento novo e manutenção em dia, o índice de falha dos geradores e QTAs são muito altos se comparado aos Nobreaks. Nos equipamentos de grande porte, esse índice varia entre 2 a 10% de probabilidade de falha.
E quando essas falhas ocorrem, não havendo o porteiro ou algum responsável, o condomínio ficará totalmente sem energia e desprotegido. Além disso, não terá ninguém para acionar o gerador manualmente, prolongando ainda mais o período de alta vulnerabilidade do condomínio.
Ter uma falha no gerador, deixando toda a estrutura elétrica desativada, sem nenhuma segurança e com portões abertos, é um risco imenso que condomínio nenhum pode correr.
Mais uma vez, um nobreak com autonomia mínima de 4 horas é indispensável para evitar este problema.

 

3- Qualidade da energia:
Alertamos que a qualidade e estabilização de energia da Eletropaulo são bastante ruins e a inutilização de um estabilizador danifica os equipamentos eletrônicos em médio prazo.
Porém, a qualidade de energia do gerador é ainda pior, principalmente daqueles equipamentos mais antigos. Além disso, quando acionado, ele joga um pico inicial de energia muito elevado e perigoso para equipamentos mais vulneráveis.
Isso tudo danifica os equipamentos eletrônicos em um curto período de tempo. Mais uma vez, o Nobreak, se torna indispensável para proteger todos os equipamentos eletrônicos, já que também atua como um excelente estabilizador de tensão.