BLOG

Conheça um pouco mais sobre a Engemoura

Por que não usar nobreaks caseiros em condomínios ?

Por que a Engemoura não recomenda o uso de nobreaks caseiros e de portão para condomínios?

 

Nossos clientes frequentemente perguntam o motivo da Engemoura não recomendar e não instalar nobreaks caseiros ou nobreaks exclusivos para portões em condomínios, costumeiramente vistos no mercado levando muitos condomínios a instalá-los para sistemas de câmeras, alarmes, interfones, etc, junto com um nobreak de portão em cada acesso.

 

É nosso dever esclarecer que apesar do custo inicial parecer menor, a série de problemas e limitações técnicas deste tipo de instalação não compensa o investimento. Além disso, a médio prazo o custo total fica muito maior se comparado à instalação de um equipamento profissional. Portanto, esta alternativa não é apenas ineficaz, como também acarreta elevados riscos, transtornos e custos futuros.

 

Isso não quer dizer que os equipamentos são ruins ou não funcionam. Eles trabalham normalmente na maior parte do tempo. Porém, são equipamentos destinados a um uso caseiro e por isso possuem uma alta probabilidade de desligamento, com necessidade de reativação manual, causando transtornos e altos riscos à segurança de um condomínio.

 

Essas falhas não ocorrem apenas durante a falta energia, mas podem surgir a qualquer momento, causando, inclusive, o desligamento da energia no local, mesmo que o fornecimento da concessionária esteja normal.

 

Os riscos de falhas destes equipamentos são:

 

  • Picos de energia:Os picos de energia ocorridos nos equipamentos ligados aos nobreaks representam o maior risco. Esses picos vêm principalmente dos portões, pois qualquer variação da partida do motor (muito frequente em motores antigos) ou atrito mecânico que exija mais força do motor, certamente irá desligar o equipamento;

 

  • Acionamento sem o inter-travamento de portões: Como o equipamento suporta apenas 1 motor, se o inter-travamento for desativado e outro motor acionado, o equipamento também irá desligar;

 

  • Baixo range de tensão: Por possuir motores de elevador, bomba, etc, a tensão nos condomínios costuma variar bastante, obrigando o equipamento a acionar o inversor em momentos que não seria necessário, o que descarrega as baterias muito mais rápido do que o normal e diminui a vida útil do sistema como um todo;

 

  • Tipo de Baterias:O erro de muitos condomínios é comprar a bateria errada. No lugar da bateria estacionária, recomendada pela fabricante do nobreak, compram baterias automotivas para economizar. O problema é que a bateria automotiva é desenvolvida para outro tipo de aplicação elétrica. Portanto, sua vida útil será reduzida drasticamente com essa aplicação, além de danificar o nobreak em um curto espaço de tempo;

 

Limitações do projeto:

 

  • Apenas 1 motor por vez:O ‘nobreak de portão’ suporta apenas 1 motor de portão por vez. Portanto, condomínios que tenham mais de um portão, ou motor no portão de pedestre, necessitarão de um ‘nobreak de portão’ para cada motor, elevando o custo a um valor acima de um equipamento profissional que suportaria todos os motores simultaneamente;

 

  • Onda Quadrada:O nobreak caseiro possui o tipo de onda Semi-Senoidal (Onda Quadrada). Essa onda não é indicada para equipamentos eletrônicos sensíveis, principalmente de áudio e vídeo. Ou seja, além do risco aos equipamentos pela onda quadrada, esta poderá causar interferência nos sistemas de áudio e vídeo do local, novamente criando um risco à segurança do condomínio;

 

  • Autonomia Individual:A instalação de diversos equipamentos separados tem autonomias individuais. Por isso, se um dos equipamentos desligar por falta de bateria, mesmo que o outro ainda tenha carga, a operação vai paralisar.

 

  • Autonomia Limitada: A autonomia destes equipamentos é extremamente limitada, então muitos tentam colocar mais baterias com o intuito de aumenta-la. Porém, além de não funcionar e ter uma carga de baterias que o nobreak não consegue usar, isso irá danificar o carregador em muito pouco tempo.

 

  • Vida Útil Limitada:Este equipamento tem uma vida útil estimada entre 12 e 24 meses com o uso contínuo em condomínios.

 

 

Conclusão:

 

Por todos os entendimentos técnicos apresentados, recomendamos a utilização destes equipamentos apenas para o motor do portão eletrônico de uma residência. Porém, se a ideia é usá-lo em condomínios, o barato certamente sairá muito mais caro e recomendamos fortemente a instalação de nobreaks profissionais.